Comunicação Alternativa

Comunicação aumentativa e alternativa (CAA)

    A American Speech-Language-Hearing Association define Comunicação Alternativa como o uso integrado de componentes, incluindo símbolos, recursos, estratégias e técnicas utilizados pelos indivíduos a fim de complementar a comunicação.

    O surgimento da Comunicação Alternativa e Aumentativa (CAA) enquanto área, remota à década de 70 no Canadá, a partir da criação e uso do Blissymbolics - Sistema Bliss de Comunicação para crianças com distúrbios neuromotores, sem fala funcional. No decorrer dos anos 80, a CAA expandiu-se principalmente nos Estados Unidos, Inglaterra e Austrália. No Brasil a CAA inicia em São Paulo, no fim da década de 70, mas atualmente, existem diversos grupos de pesquisa que se dedicam à temática:

    Grupo de pesquisa Educação Especial: Comunicação Alternativa do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, em São Paulo (USP), Universidade S. Camilo, PUCCAMP, UNICAMP, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Universidade de Marília (UNESP).

    A nomenclatura utilizada para a área é diversa como: Comunicação Aumentativa e Alternativa (CAA); Comunicação Alternativa e Suplementar e Comunicação Alternativa e Ampliada.

    A CAA promove por meio de símbolos, recursos, técnicas e estratégias um suporte parcial ou total à comunicação de sujeitos que apresentem déficits de comunicação dos mais variados. Podendo assumir diversas formas: pranchas de comunicação, vocalizadores, etc.   O uso de um sistema de comunicação alternativa deve ser baseado nas necessidades do sujeito que apresenta déficits de comunicação.

    O presente site disponibiliza a produção cientifica e técnica do grupo TEIAS na área de CAA a partir do Projeto de Pesquisa SCALA.